Se funciona na vida, funciona no Marketing - Buena Vista - Inteligência de Negócios

Se funciona na vida, funciona no Marketing

Muitos profissionais de Marketing estão esquecendo os conceitos essenciais da área. Não param para entender ou mesmo aplicar de forma prática o que foi aprendido na teoria.

Ou então, muitas vezes pensam que Marketing é uma fórmula, que possui receita igual a bolo, mas isso é um assunto para outro texto.

Marketing, na verdade, é um processo pensado em trazer resultado. Com essa finalidade, ele foi criado para buscar entender o mercado, para otimizar as estratégias e ações, na finalidade de obter o melhor resultado.

Buscando na definição de Marketing, aquela de sala de aula, clássica, que o guru Kotler traz naquele “pequeno livro” que já teve capa azul, vermelha e preta – se você não sabe qual livro estou falando, pare de ler esse artigo e vai buscar saber que livro é esse – a base de toda aula de Marketing e basicamente de toda teoria a respeito: “Marketing é também um processo social, no qual indivíduos ou grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com os outros”.

Necessidades, desejo e valor. É isso que todos decoram na definição de marketing. Pergunte em uma sala de aula, a maioria vai falar isso. Mas Kotler traz um conceito interessante além das três palavras anteriores, PROCESSO SOCIAL!

Sim, sociedade. Essa palavra é até mais forte que necessidade, desejo e valor. Buscando nos cursos de faculdade em que se tem uma carga maior de Marketing, ou pelo menos deveriam ter, temos: Administração, Publicidade e Marketing. Você já parou pra pensar que estes três cursos são de HUMANAS?

Sociedade, humanas, pessoas. Marketing por sua vez, se formos traduzir ao pé da letra, seria a Mercadologia, ou seja, a ciência que estudo o mercado. Mas afinal, o que é o mercado?

São pessoas.

Para corroborar com o pensamento, me permito trazer um trecho do artigo de Walter Longo, que define mercado da seguinte maneira: “Uma empresa é formada por seres humanos (sistemas complexos por si), atuando em um mercado formado também por outras pessoas (outros sistemas complexos, por sua vez), tentando vender seus produtos para outras pessoas (também obviamente complexas), formando, assim, um gigantesco mar de relações e independências de alta complexidade, ao qual chamamos simplesmente de mercado”.

Então, o nosso foco em qualquer estratégia ou ação de marketing em que se espera resultado, é saber colocar o ser humano em primeiro lugar. Empatia é a palavra quando se quer trabalhar com Marketing.

Pensar no target – como gostamos de usar os termos em inglês – não como número, pensar nos relatórios de métricas, não como números, MAS COMO PESSOAS. Pensar no comportamento humano atualmente nunca foi tão relevante para o processo de Marketing. Temos muito tecnologia, sim, mas o humano ainda é mais importante de tudo isso.

Conquistar um cliente é como conquistar o crush, se me permitem a comparação. Devemos pensar da mesma maneira, pois algo que eu não faria para o meu crush, certamente não deveria ser feito com o meu cliente.

Por exemplo, se eu me fingir ser alguém que eu não sou. Como sustentar uma falsa imagem no relacionamento, o tempo vai passando e a verdadeira persona vai aparecendo. Isso causa a maior frustração. Você mesmo lendo esse exemplo deve ter pensando em uma situação ou em alguém.

Precisamos cada vez mais trazer o fator humano para as estratégias e ações de Marketing, ainda mais se queremos trazer resultado efetivo. Entender os conceitos e trazer o fator humano.

Antes de executar alguma ação, tente personificar seu público e analise a efetividade das ações com uma visão mais humana do processo, pois SE FUNCIONA NA VIDA, FUNCIONA NO MARKETING.

Tags: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *